Tag Archive: Studio Ghibli


Porco Rosso

Título Original: Kurenai no buta

País:  Japão

Ano:  1992

Duração:  94  minutos

Gêneros: Aventura, Animação, Romance, Fantasia

Direção: Hayao Miyazaki

Roteiro:  Hayao Miyazaki

Formato:  RMVB

Tamanho:  229 MB

Legendado: Português

Download

Parte 1 / Parte 2 / Parte 3

Comentário:

Acredito que o nome Porco Rosso possa fazer referência ao o Barão Manfred von Richthofen, morto em combate em 1918, aos 26 anos, conhecido como Barão Vermelho.  Foi o mais famoso e o mais célebre da aviação de todos os tempos. Apesar de ter abatido uma quantidade impressionante de aviadores franceses, ingleses e canadenses, foi profundamente admirado e respeitado por seus adversários. Isto porque, assim como von Richthofen, Marco, conhecido como Porco Rosso, é um piloto exemplar, que fora militar, mas que agora dedicava-se a pequenos trabalhos, além de ter diversos inimigos que o respeitam e admiram seu talento, apesar de não gostarem dele.

Tenho cada vez mais convicção da influência de Miyazaki e do Studio Ghibli nos animes atuais é muito grande. Um tema que é muito frequente em animes e que os otakus adoram é Piratas do Céu, como Last Exile, Erementar Gerad, inclusive mais um do próprio Miyazaki: Laputa – Um Castelo no Céu.

Os vilões de Miyazaki são sempre verossímeis e se assemelham as pessoas que, na vida real, acreditamos ser “más”, mas com a convivência percebemos os motivos que as levaram a ser assim. Mamma Aiuto é o líder da gangue dos céus, apesar de no início da trama nos deparar com eles como sendo maus, ao desenvolvimento vemos como são humanizados, se apaixonam por Fio e a tratam bem. O que é o diferencial da maioria dos filmes, até em filmes adultos encontramos vilões que são muito maus o tempo todo com todas as pessoas.

Porco vive em uma ilha isolada, e depois de salvar umas garotinhas é obrigado a fazer uns concertos em seu avião. Passa então, pelo Hotel Adriano, onde notamos certa intimidade com Gina, a dona. Uma mulher que é apreciada por todos pela beleza, simpatia e voz.

Ao partir para Milão para os concertos, descobre que todos os antigos mecânicos não estavam mais lá, Piccolo, o dono da loja diz que eles “se foram”, criando, sutilmente, a ideia de que eles estão mortos, visto que a história se passa no período entre Guerras. Depara-se com uma mocinha bonitinha que irá arrumar seu avião, inicialmente cético em relação a sua habilidade como mecânica, mas depois de ver sua dedicação no projeto, Porco a aceita como uma engenheira competente e genial. Sem homens para ajudar no projeto, Piccolo chama uma equipe só de mulheres para reparar o avião, todas mulheres e filhas dos seus filhos mecânicos que “se foram”. Esforçadas e competentes terminam o projeto criado por Fio. Mais uma vez nos deparamos com as heroínas de Miyazaki.

Decidida a partir com Porco para verificar seu trabalho e receber o dinheiro, Fio vê a oportunidade de aventuras. Inicialmente relutante com a ideia de levá-la, acaba a aceitando por sua insistência.

Quando chegam à Ilha de Porco, vários Piratas do céu estão aguardando para atacá-los e destruir o precioso avião vermelho, mas Fio agilmente fala com eles sobre moral e valores dos Piratas do Céu, de como são mais e que suas mães ficariam envergonhadas se assim fizessem. Num monólogo muito bonito e inteligente, Fio diz: “Cresci ouvindo histórias sobre pilotos de hidro-avião”. Que eram os melhores e mais honrados, porque o mar e o céu lavavam suas almas. Assim eram mais valentes que os marinheiros e mais orgulhosos que os pilotos normais.” Assim, Porco percebe sua bondade por oferecer-se como prêmio da luta entre Curtis e Porco.

Apesar de Gina sempre dizer para Marco procurar algum modo de quebrar o feitiço, e seu amigo Ferrarin insistir para que volte para a aeronáutica, onde ficara seguro, Marco insiste e diz: “Prefiro ser um porco do que um fascista”.

Fio herda a loja de seu avô. Tudo acaba bem no fim do filme. Uma curiosidade é que Piccolo, a companhia de avião retratado no filme, pode ser uma referência para o italiano aeronaves fabricantes Caproni e Piaggio, porque o jato mostrado na última cena é muito semelhante do Caproni C-22J, um avião desenhado por Carlo Ferrarin. E Ferrarin é o nome utilizado no filme para o amigo Marco de piloto da Força Aérea.

Nota IMDB

O Serviço de Entregas da Kiki

Título Original: Majo no takkyûbin

País:  Japão

Ano:  1989

Duração:  103  minutos

Gêneros: Aventura, Animação, Família

Direção: Hayao Miyazaki

Roteiro:  Hayao Miyazaki, Eiko Kadono

Formato:  RMVB

Tamanho:  229 MB

Legendado: Português

Sinopse:

Kiki é uma jovem bruxa em treinamento, que acabou de completar treze anos. De acordo com a tradição, todas as bruxas com essa idade devem deixar suas casas, para aprender a viver por conta própria. Kiki, junto com seu gato Jiji, voa para longe para viver na cidade de Korico. Depois de chegar lá, tem de arrumar emprego e aprender o verdadeiro significado de sua nova vida, principalmente depois que perdeu o poder de voar. Mais uma obra mágica do gênio Hayao Miyazaki, que ganhou o Oscar de Melhor Filme de Animação pelo incrível A Viagem de Chihiro. Uma longa jornada cheia de aprendizado, magia e muita emoção.

Download

Parte 01 / Parte 02 / Parte 03

Comentário:

Em O Serviço de Entregas da Kiki há uma preparação para que Kiki se torne uma bruxa, a qual funciona como uma metáfora para o amadurecimento, o que acontece em muitos filmes de Miyazaki. Esta preparação acontece quando as bruxas completam 13 anos, tem que sair de casa durante um ano, para aprender a se virarem sozinhas com o objetivo de descobrirem os seus dons. Kiki escolhe uma cidade grande e litorânea, pois nunca havia visto o mar, nem estado em uma metrópole. Mas o seu encantamento vai sumindo conforme ela lida com o dia-a-dia da grande cidade.

Faz amizade com uma padeira que a acolhe em sua casa, e por estar grávida, pede ajuda para Kiki no serviço da padaria. Além disso, Kiki tem seu próprio negócio: entregas. Com a ajuda de sua vassoura entrega dentro e fora da cidade. Complicações engraçadas e embaraçosas acontecem no início, divertindo e emocionando muito, principalmente as crianças.

Ainda sim existe a parte dramática da história sendo tratada sutilmente, que é o fato de Kiki tentar ter amigos, querer ir a festas, usar roupas iguais as jovens de sua idade, mas perceber que muitos a olham com estranheza. Em meio a essa situação, entra num conflito consigo mesmo, adoece e entristece. Provavelmente sente falta da casa de seus pais no interior, com seus amigos, onde podia andar na rua sem dar atenção à carros ou à olhares estranhos. O propósito de Kiki, descobrir o seu dom parece distante, insegura e impaciente, Kiki acaba tendo sua magia enfraquecida.

É um clichê Kiki conseguir utilizar sua magia só no último momento para salvar o seu único amigo da cidade, mas é o que geralmente acontece com as pessoas quando querem fazer algo e não conseguem, só conseguem em meio à pressão, à necessidade.

O desenho sempre muito perfeito, com todos os planos cheios de detalhes, nenhum espaço vazio, o que faz o irreal convencer muito pela aproximação do real através do ambiente onde se passa a história. Kiki é uma protagonista agradável, que conta uma história inocente e educadora.

NOTA IMDB

Pom Poko

Título Original: Heisei Tanuki Gassen Ponpoko

País:  Japão

Ano:  1994

Duração:  111  minutos

Gêneros:  Fantasia, Infantil, Aventura, Animação

Direção: Isao Takahata

Roteiro:  Hayao Miyazaki, Isao Takahata

Formato: RMVB

Tamanho:  CD1 184MB/ Cd2 207 MB

Legendado:  Português

Sinopse: 

O crescimento de Tóquio durante os anos 60 originou uma explosão urbanística nos subúrbios; montanhas foram aplanadas e florestas abatidas. Os tanuki, uma espécie de guaxinins, vêem-se ameaçados pelo desenvolvimento dos humanos: a área habitável reduz-se, bem como os recursos alimentares. A falta de comida conduz a guerras internas

Download

Cd1   Parte 1     Parte 2        Parte 3

Cd2  Parte 1      Parte 2       Parte 3

Comentário:

Produzido 10 anos depois de Nausicaä, Pom Poko é mais nipônico, digamos, por causa das referências culturais com os animais antropomórficos, dominadores da arte marcial, além dos Tanukis estarem presentes até em templos, por serem símbolos mitológicos sagrados. Como sempre, Hayao com sua influência nos valores ambientais, mas com uma dinâmica em sua narrativa diferente das outras obras do Studio Ghibli.

A história mostra como as atitudes humanas afetam a vida dos animais de forma fantasiosa, é claro. Uma rápida e forte urbanização ocorre, alguns animais vão embora, mas os tanukis começam a disputar território e comida. Ingenuamente tentam assustar os humanos, na tentativa de os expulsar. Vendo o fracasso, começam a invadir o território humano, para isso usam da televisão como meio para entender a vida humana, disfarçando-se deles vão trabalhar, e com o tempo vão esquecendo quem são diante da vida moderna. Há uma forte crítica à tv, pois os tanukis sobrem uma lavagem cerebral, começam a comer comida humana, a se intoxicar. Viciam-se em jogos e bebidas alcoólicas.

Tem valores maravilhosos, e acredito que as animações do Studio Ghibli formaram a moral de muitos japoneses e habitantes de todo o mundo. O objetivo de Hayao Miyazaki e Isao Takahata voaram mais longe.

Mais sobre o Studio Ghibli, com dicas de animações: https://fourhandedbrains.wordpress.com/2012/05/09/studio-ghibli/

Nota IMDB

A viagem de Chihiro

Título Original: Sen to Chihiro no Kamikakushi

País:  Japão

Ano:  2001

Duração:  125  minutos

Gêneros:  Animação, Aventura, Fantasia

Direção: Hayao Miyazaki

Roteiro:  Hayao Miyazaki

Formato: RMVB

Tamanho:  406 MB

Legendado:  Português

Sinopse: O “Alice no país das maravilhas” japonês. Premiado com o Urso de Ouro no Festival de Berlim 2002 e o Oscar de Melhor filme Animado em 2003.

Leia mais sobre essa e outras obras clássicas da animação japonesa: https://fourhandedbrains.wordpress.com/2012/05/09/studio-ghibli/

Download

Nota IMDB

O Clássico das animações japonesas

O nome Ghibli vem de um apelido italiano dado aos aviões que sobrevoavam o Deserto do Saara na Segunda Guerra Mundial, que metaforicamente representaria o “sopro do vento” que vivamente invadiria a mente dos jovens japoneses, mas felizmente, o objetivo teve alcance maior e atingiu a mente de jovens do mundo inteiro. Foi fundado em 1985 e é comandado pelos diretores Hayao Miyazaki e Isao Takahata. As Trilhas Sonoras do Studio Ghibli são, em sua maioria, feitas pelo compositor Joe Hisaishi, o que dá uma beleza ainda mais preciosa aos filmes devido a originalidade.

A estreia do Studio foi o Nausicaä do Vale do Vento baseado no conto do folclore japonês A princesa que amava insetos, a história fictícia trás valores muito belos como respeitar as florestas e os insetos, que normalmente os consideramos asquerosos. Em 1984 já estavam considerando esses valores, no início da história conta que a decadência do Vale do Vento e de todo o mundo tinha sido a grande poluição e tragédia advinda das Indústrias dos homens, o que é uma grande possibilidade de ocorrer no mundo real se não nos reeducarmos de novo.

As fotografias de todas as animações são no mínimo perfeitas e encantadoras. A beleza da criatividade, dos planetas estranhos, dos seres vivos monstruosos parecendo extraterrestes nos dá a dimensão do trabalho do Studio Ghibli. Os finais dos filmes são inconfundíveis, não são nada parecido com o que costumamos ver apesar de muitas vezes ser finais felizes. Todas as animações roteirizadas por Miyazaki tem uma semelhança incrível no fim do filme que é o casal de crianças sempre presente e que nunca ficam juntos, nos dá essa perspectiva de que irão se apaixonar, mas só nos mostra a felicidade e a amizade que eles tem. Em Laputa – um castelo no céu, Sheeta diz a Pazu: Quando você caiu do céu, o meu coração estava agitado, sabia que algo de maravilhoso ia me acontecer, o que é muito romântico e dá à alguns a impressão de amizade colorida.

Os protagonistas sempre têm características maravilhosas, valores e qualidades admiráveis, com personalidades bem marcantes, como Pazu, de novo em Laputa – um castelo no céu, que é um menino determinado, corajoso e carinhoso, fazendo muitos sacrifícios para ajudar a estranha menina que conheceu a pouco tempo, cuidando dela como se fosse um homenzinho.

O céu é palco de muitas tramas do Studio Ghibli, o que é muito sonhador e confortante que me lembra a música do fechamento de Fullmetal Alchemist, que dizia mais ou menos assim: quero ser como o céu para você, e assim te acompanhar em todos os lugares que você for, você irá olhá-lo e se recordar do lugar para onde retornar.

Apesar de parecer infantil para muitos, os animes são profundos e maduros. Sempre tem muitas coisas ocorrendo durante as cenas de forma muito dinâmica, o filme que tem essa característica mais evidente é Princesa Mononoke que tem um número de quadros superior à… feitos a mão. As tramas sempre oscilam do cômico para o trágico, do sério para o sentimental em pouco tempo, caracterizando ainda mais o dinamismo. A minha animação, por enquanto, predileta do Miyazaki é A viagem de Chihiro, por que ainda não assisti a todos.

Os Estúdios Disney fecharam com os Estúdios Ghibli um acordo conhecido como Disney-Tokuma, aproveitando o interesse norte-americano sobre os mangás e animes, passando a distribuir em vídeo todos os longas animados do estúdio japonês, além de distribuir nos cinemas filmes que alçariam o nome de Miyazaki e de Ghibli ao estrelato ocidental e mundial, como Princesa Mononoke (1997) e, mormente, A Viagem de Chihiro (2001), laureado com o Urso de Ouro no Festival de Berlim 2002 e o Oscar de Melhor filme Animado em 2003, considerado o filme de Ghibli de maior sucesso internacional.

Também adorei Sussuros do coração único longa-metragem dirigido por Yoshfumi Kondô no Studio, é mais maduro emocionalmente, e não tem tantas agitações por ser no “mundo real”, a protagonista, Shizuku, é uma estudante, uma moça que lê vários livros e se encontra diante de um mistério doce sobre um gato e um nome de um menino que pegara os mesmos livros antes que ela na biblioteca. Ela fica imaginando como ele é e perguntando as pessoas sobre ele, o que é normal quando queremos conhecer alguém e se envolver, é como se quiséssemos saber o caráter e as semelhanças da pessoa com você antes de se apaixonar por ela, como se fosse um anticorpo. É engraçado a decepção que ela tem ao descobrir quem ele é. Um dos momentos mais emocionantes e belos do filme é quando cantam Take me home, country roads, em japonês.

http://site.studioghibli.com.br/