Foram anunciados dia 16/08/2012  os 11 trabalhos vencedores do 24° concurso anual de fotografias entre os viajantes da National Geographic Traveler 2012, as conhecidas “Fotos de Viagem”. O concurso teve participação de 6.615 fotógrafos de 152 países, que apresentaram 12.000 fotos, com as seguintes categorias: Momentos espontâneos, Retratos de Viagem, Cenários Exteriores, Sentido do Lugar.

 

1 – Olhando dentro de um outro Mundo, por Fred Aisne. Vencedor por mérito. “Esta é a grande árvore de Carvalho Japonês, no Portland Japenese Gardens. Tentei trazer uma perspectiva diferente desta árvore, freqüentemente fotografada.”

 

 

2 – Borboleta, fotógrafo Cedric Huin, ganhou o primeiro lugar com essa fotografia. “Esta imagem foi feita nas terras do Quirguistão do Corredor Wakhan. A intimidade deste momento com a vida cotidiana, fotografada dentro de uma tenda familiar, está em contraste total com o ambiente hostil que essas tribos nômades vivem. Essas tribos vivem isoladas, as vilas mais próximas estão a semanas de caminhada. Apesar de estar localizada a uma altitude de 4.300 metros em uma das áreas mais remotas do Afeganistão, estão equipados com painéis solares, antenas parabólicas e celulares. Formas ancestrais de vida, com toques de modernidade.”

Alexandra Avakian: “A luz e textura capturada neste retrato são pintura, e a predominância da cor vermelha é rica. O conteúdo da foto é surpreendente porque o fotógrafo capturou tanto a forma como nômades de vida tradicional e alguns de seus modernos apetrechos, o espectador fica com a satisfação visual de algo que vai contra o clichê. Formas triangulares tendem a adicionar dinamismo para fotos. Nesta foto aparecem em vários lugares, incluindo o joelho do assunto principal, o cotovelo, e um lenço branco.

Eu dormia na tenda convidado do nômades quirguistãos nas montanhas remotas enquanto em missão para a revista Elle; o local é de difícil acesso e fora do caminho batido para a maioria dos viajantes, e, portanto, de valor educativo, bem como estética.”

 

 

3 – Surf submarino. Trabalho da fotógrafa Lucia Griggi, a qual possui um grande acervo de fotos do mar e de surfistas. Vencedora por mérito. “Foto tirada em Cloud Break em um recife exterior de Fiji, o surfista mrgulha com sua prancha para furar as ondas do mar agitado”.

 

 

4 – Meu Balão. Obra do fotógrafo Vo Anh Kiet. Vencedor do segundo lugar. “As crianças Hmong brincam com balões em um dia de neblina na província de Mos Chau Ha Giang, Vietnã. A foto foi tirada em janeiro de 2012”.

A fotógrafa Alexandra Avakian, uma das juradas, compartilhou seus pensamentos sobre o vencedor do Segundo lugar. ”A fotografia é como um sonho, e é atemporal não só porque é preto e branco e não há modernidade, mas também porque isso esquematiza uma atividade que as crianças de todo lugar do planeta fazem com balões. A névoa e o fundo ameno fazem isso parecer como uma memória. É tão bom quanto as fotografias no álbum seminal de fotos preto e branco, “The Family of Man”. Às vezes as melhores cenas para se filmar não estão em lugares óbvios pra viajantes mas para serem encontradas em qualquer lugar distante – tanto quanto Hmong Village”.

 

 

5 – A Vila de Gásadalur. Obra do fotógrafo Ken Bower. Vencedor por mérito. “A vila de Gásadalur e a ilha de Mykines no fundo. Até que um túnel fosse construído em 2004, os 16 moradores que viviam em Gásadalur tinham uma caminhada árdua ou a cavalo sobre a montanha íngreme de 400 metros para chegar a qualquer outra aldeia.”
“A aldeia e a ilha Gasadalur Michines em segundo plano. Foi um raro dia de sol nas Ilhas Faroe, e eu tive que esperar as nuvens de luz para criar uma aparência suave. Eu usei uma velocidade lenta do obturador para 1 minuto e 10 segundos para mostrar o mar calmo das ilhas isoladas “.

 

 

 

6 – Felicidade de Bagan. Autoria do fotógrafo Peter DeMarco. Vencedor por mérito. “Mais de 2.000 templos budistas preenchem as planícies de Bagan. A melhor maneira de ver Bagan, além de um passeio em um balão de ar quente, é de bicicleta. É fácil sair do caminho batido e viver a sua mais selvagem fantasia no estilo Indiana Jones.”

 

 

 

7 – Velhos com Djellaba, Foto de SauKhiang Chau. Vencedor por mérito. “A Última Ceia de Da Vinci? Não, são apenas alguns velhos de Chefchaouen com djellaba, sentados e conversando.”

 

 

8 – Nadando na chuva, foto de Camila Massu. Vencedora por mérito. “Minha irmã no sul do Chile. Estávamos sentadas em casa, junto à lareira, quando de repente começou a chover torrencialmente. Corremos para dentro do lago para aproveitar o momento!”

 

 

 

9 – Perdida no tempo – Uma floresta anciã, foto de Ken Thorne. Vencedor por mérito. “Perto da cidade de Morondava, na costa ocidental de Madagáscar, encontra-se uma antiga floresta de árvores de baobá. Não há nada como caminhar entre esses gigantes. Algumas das árvores aqui possuem mais de mil anos de idade. É um lugar espiritual, quase mágico.”

 

 

 

10 – Devotos, por Andrea Guarneri.Vencedor do terceiro lugar. “Durante a celebração de Páscoa, em Trapani. Os devotos carregam as cenas da paixão de Cristo em seus ombros toda a noite.”

A fotógrafa Alexandra Avakian, uma das juradas, compartilhou seus pensamentos sobre o vencedor do terceiro lugar:  ”

A luz sobre o ícone de Jesus é tão crítico para o sucesso da imagem como as variadas expressões nos rostos dos homens depois de uma noite cansativa carregando estátuas representando a Paixão de Cristo. Reconhecendo quando e como equilibrar os diferentes tipos de luz na mesma foto é algo que pode fazer a diferença entre uma imagem enlameada e desinteressante e que é bom, estética, e cheio de conteúdo. Esta foto foi tirada no porto na cidade de pesca de atum de Trapani, Sicília, uma terra conhecida por suas procissões religiosas. O fotógrafo estava trabalhando de madrugada para levar esse tiro, muitas vezes uma necessidade em qualquer cobertura de um lugar e / ou evento.”

 

 

 

11 – Vencedor pelo voto do público, por Michelle Schantz. “A casa é iluminada pelas Luzes do Norte em Finmmark, na Noruega.”

Anúncios