Eluveitie é uma banda de folk metal com elementos de melodic death metal formada em 2002 por Chrigel Glanzmann. Logo em 2003 lançaram seu EP “Vên”, mas só em 2006 gravaram seu primeiro álbum de estúdio “Spirit” que definiu melhor o estilo da banda, totalmente próprio. A mistura dos elementos é muito rica, com vocais rasgados, guturais, femininos, violinos, hurdy-gurdy, gaita de fole, flauta sem contar os principais instrumentos do estilo como baixo, guitarra, bateria. A banda investe bastante na cultura céltica e gaulesa e algumas músicas são cantadas em gaulês. As letras são baseadas em textos escritos em gaulês sobre evocação de espíritos e de deuses. O nome “Eluveitie” vem da tradução etrusca de “Helvetios” da língua céltica que se refere ao habitante da cidade de Mantua (300 a.C.).

Ano:  2012

País:  Suíça

Membros:

Sime Koch – Guitarra, Mandola
Pade Kistler – Diversas Gaitas de Fole
Anna Murphy – Hurdy Gurdy, Vocal
Chrigel Glanzmann – Vocal, Tubos Uilleann, Harpa de bardo, Mandola, Bodhrán
Kay Brem – Baixo, Voz de Caesar em “Havoc”
Meri Tadic – Violino
Ivo Henzi – Guitarra
Merlin Sutter – Bateria

Comentário:

“Helvetios” é o quinto álbum da banda. É o segundo conceitual e foca nas guerras gaulesas da perspectiva do ancião Helvetii. Assim como nos lançamentos anteriores, a banda procura sempre espalhar bem os sons mais vibrantes, intercalando com “discursos” como na “Scorched Earth”. Creio que a intenção dos músicos não é apenas mostrar sua música e mas também sua cultura que parecem se orgulharem tanto. A música folk é exatamente isso, mostrar sua própria cultura, cantando dos mais diversos e estranhos idiomas. Ainda que Eluveitie canta esmagadoramente mais em inglês.
Um fato que houve com a banda é que perdeu um pouco da velocidade na bateria comparado ao “Vên” e o “Spirit” (primeiros lançamentos) e foi positivo isso. Destaca mais os outros instrumentos (não que não tinham seus destaques antes). A gaita de fole, o hurdy-gurdy e o violino tem um destaque impecável, a forma como entram e saem é totalmente harmonioso. Destaque para a bela atuação no vocal feminino de Anna Murphy nas faixas “A Rose for Epona” e “Alesia” e destaques gerais para “Helvetios”, “Neverland” e “Uxellodunon”.
Enfim, a banda evolui a cada álbum, sempre inovando em algum aspecto. Um dos grandes discos até então de 2012.

01. Prologue
02. Helvetios
03. Luxtos
04. Home
05. Santonian Shores
06. Scorched Earth
07. Meet The Enemy
08. Neverland
09. A Rose For Epona
10. Havoc
11. The Uprising
12. Hope
13. The Siege
14. Alesia
15. Tullianum
16. Uxellodunon
17. Epilogue

Tamanho:  108 MB
Anúncios