Título Original:  A Janela Aberta

País:  Brasil

Ano:  2002

Duração:  10  minutos

Gêneros:  Curta, Ficção

Direção:  Philippe Barcinski

Roteiro:  Philippe Barcinski

Elenco:

Enrique Diaz
Eugênio Puppo

Sinopse:

Um homem deitado em sua cama tenta se lembrar se fechou a janela de seu apartamento. Tentando reconstituir os passos de seu dia-a-dia, numa linha de raciocínio, aparentemente, simples, revela-se dono de uma mente obsessiva e patologicamente perturbada.

Comentário:

Contada a história de forma bem dinâmica, com trilhas sonoras criando um suspense incrível e gradual, o curta de Phillipe barcinski tem um diferencial, assim como muitos curtas brasileiros (que acredito serem muito fortes). O diferencial está no título, o protagonista associa todos os fatos à janela, num quebra-cabeças de acontecimentos sem tanta importância se forem analisados separadamente. Dizem os psicólogos e neurologistas que na hora de dormir é bom treinar nossa memória recordando fatos do dia-a-dia que aconteceram nos mínimos detalhes, onde estava cada objeto, os fatos e etc. Enquanto assistia isso não saia da minha cabeça, já que o curta é movido das lembranças do personagem. O nosso personagem tem hábitos peculiares como cada dia da semana atravessar o tapete de um modo, lavar os pés na pia, colocar sobre a estante um objeto diferente. Todos elementos foram aproveitados e a inserção do outro personagem, um encanador talvez, ajudou a ligar esses fatos. Vários atos foram associados ao encanador. Cada dia o tapete era usado pra ele andar de um modo, no último o encanador tirou; os objetos eram colocados na estante, no último de novo foi retirado do local; o quadro que ele mexia depois de fechar a janela, o encanador quebrou e ocasionou o corte do pé; o pão que oferecia todo dia, cortou a mão com a faca; a infiltração de água, que o encanador quebrou a parede. Enfim, ficou muito bem amarrada essa história. Agoram, existem possíveis interpretações do final para justificar o homem morto dentro do armário. Como já disse os fatos foram associados ao encanador, provavelmente o homem morto é o encanador, mas como ele morreu? Aí que está a pergunta mais importante. A minha interpretação é que o encanador interferiu em todas coisas que o dono da casa fazia, tirou o tapete, a mesa e ainda por cima fez o outro cortar o pé, por sua culpa, além de quebrar a parede da sala, e isso pode ter enraivecido o homem. Não seria o caos pensar que ele pode ter assassinado o encanador pois alguém com tantos toques, seguindo-os religiosamente todo dia, seria como tirar a comida de alguém com muita fome alterar essa rotina.

Anúncios