Por que revolução? A Sik Pik é esse novo modelo de palheta que ultrapassou todas as barreiras de velocidade.
De acordo com o brasileiro Thiago Della Vega, a palheta adere melhor ao dedo e permite uma economia de tempo na subida e descida da palhetada. Um grande avanço tecnológico do instrumento.
Agora a pergunta, isso é bom? Sim e não. Sim porque com menos tempo o guitarrista consegue atingir a velocidade necessária para tocar sua música desejada e para aprimorar sua técnica. Entretanto, nos videos posteriores que postarei, o som da famosa “Flight of Bumblebee” ficou totalmente distorcido, se transformando em um zumbido desagradável. Analisando as músicas próprias de Thiago Della Vega, a musicalidade perde todo espaço pra velocidade. A obsessão do brasileiro começou desde pequeno, com 5 anos e dedicou sua vida ao instrumento. Então, eu vejo esse record como mais um record qualquer, como “O homem que colocou o maior número de canudinhos na boca”, não tem vínculo musical, é meramente um showzinho circense que nada contribui positivamente para a música.
O record que era de Thiago Della Vega em 2008 era de 320 bpm e depois foi superado e por fim, em Cannes, Della Vega com seus 750 bpm e agora surge outro guitarrista chamado Taylor Sterling com impressionantes 999 bpm. Isso é antimusical.

Se você acha Malsmteen, Rusty Cooley, Steve Vai, ou qualquer outro guitarrista rápido, seus conceitos podem mudar depois de verem os videos abaixo. Ao contrário desses guitarristas abaixo, os citados na frase anterior conciliam bem a velocidade mantendo a musicalidade como ponto forte e a velocidade é um modo de expressar suas emoções com estilo e muito estudo por trás.

Vanny: 500 BPM

 

 

Thiago Della Vega: 750 BPM

 

 

Taylor Sterling:  999 BPM

 

 

Anúncios