Rhapsody of Fire é uma banda de power metal sinfônico, criada em 1993. No início chamava-se Thundercross, e em 1995 alterou para Rhapsody e devido a problemas de direitos autorais, em 2006, novamente acrescentou para Rhapsody of Fire (graças a esses problemas jurídicos, a band. O som da banda por ter muitas músicas longas, instrumentais com passagens semelhantes a trilhas sonoras de filmes, alguns críticos rotulam a banda como Hollywood metal. As influências de música clássica são bem evidentes, basta ouvir as introduções dos álbuns, geralmente com uma música curta instrumental, lembrando as sinfonias de séculos passados. As referências a filmes não param por ai, como narrador da banda, adere-se a ela, nada mais nada menos que Christopher Lee (sim aquele Drácula dos anos 50, 60), participante dos álbuns “Symphony of Enchanted Lands II – The Dark Secret” e além de narrador, cantou a faixa “The Magic of the Wizard’s Dream” e no disco “The Frozen Tears of Angels” apenas como narrador. A banda que mantinha-se estável no line-up desde 2003, em 2011 essa perdeu três grandes nomes, entre eles o letrista e guitarrista, também fundador da banda, Luca Turilli, ainda o baixista Patrice Guers e o guitarrista de turnês apenas “Dominique Leurquin”.

Ano:  2010

País:  Itália

Membros:

Fabio Lione – Vocal
Luca Turilli – Guitarra
Patrice Guers – Baixo
Alex Staropoli – Teclado
Alex Holzwarth – Bateria

Comentário:

“The Frozen Tears of Angels” é o sétimo álbum e continua a aventura mística da idade média de seus personagens, mais uma vez com mapas no encarte, uma moda da atualidade, mas que desde o “Legendary Tales” (primeiro lançamento, 1997) já ocorria. Com essa formação incrível, integrantes muitos técnicos, mais uma vez me encanta com os refrões carregados de emoção com coros de fundo, em especial, como na belíssima faixa “On the Way to Ainor”, mas esse elemento está presente na maioria das canções. Uma música muito surpreendente, na minha opinião, foi a “Reign of Terror”, com passagens longas cantadas em latim, vozes rasgadas guturais mostraram um lado obscuro da banda que jamais tive o prazer de sentir. Achei um amadurecimento muito grande por ter ultrapassado a barreira e abrir exceções para sons que necessitam de recursos como esses, “fugindo” do tradicional estilo. Ainda encontramos a “Danza di Fuoco e Ghiaccio” cantada em italiano, fato antes ocorrido e que Fabio Lione conseguiu soltar de vez seu sotaque italiano que o prende tanto, em uma balada muito mística. Por falar em Fabio Lione, sua interpretação em “Lost in Cold Dreams” foi um incrível, uma técnica inconfundível. Por fim, quase fechando o cd, temos, como em todos cds, uma faixa maior abordando inúmeras formas de expressão musical, nos transportando para uma aventura fantástica.

01. Dark Frozen World
02. Sea of Fate
03. Crystal Moonlight
04. Reign of Terror
05. Danza di Fuoco e Ghiaccio
06. Raging Starfire
07. Lost in Cold Dreams
08. On the Way to Ainor
09. The Frozen Tears of Angels
10. Labyrinth of Madness
11. Sea of Fate (Orchestral Version) – Bonus Track

 

Tamanho: 128 MB

Download

Anúncios