Título Original:  Bin-jip

País:  Coreia do Sul

Ano:  2004

Duração:  89 minutos

Gêneros:  Drama, Policial, Romance

Direção:  Ki-duk Kim

Roteiro:  Ki-duk Kim, Seong-back Jang

Elenco:

Lee Seung-Yeon
Lee Hyun-Kyoon
Kwon Hyuk-Ho
Ju Jin-Mo

Formato:  AVI

Tamanho:  725 MB

Legenda:  Português

Sinopse:

Um jovem vagabundo invade a casa de estranhos e mora nelas enquanto os donos estão fora. Para pagar a estadia ele realiza pequenos consertos ou faz limpeza na casa. Ele costuma ficar um ou dois dias em cada lugar, trocando de casa constantemente. Até que um dia encontra uma bela mulher em uma mansão, que assim como ele também está tentando escapar da vida que leva.

Download

http://rapidshare.com/files/72352711/Ki.du…ssarulu.avi.001

http://rapidshare.com/files/72353512/Ki.du…ssarulu.avi.002

http://rapidshare.com/files/72354177/Ki.du…ssarulu.avi.003


http://rapidshare.com/files/72354763/Ki.du…ssarulu.avi.004


http://rapidshare.com/files/72358855/Ki.du…ssarulu.avi.005


http://rapidshare.com/files/72359519/Ki.du…ssarulu.avi.006


http://rapidshare.com/files/72360054/Ki.du…ssarulu.avi.007


http://rapidshare.com/files/72360171/Ki.du…ssarulu.avi.008

LEGENDAS EM PORTUGUÊS

 

Comentário: 

Esse filme pode não ter muitas falas, mas isso só faz com que possamos sentir as situações do filme como se estivessem acontecendo com você. Pelo menos, eu tive muitas sensações. Como o fato do protagonista entrar em casas vazias fazer com que eu fique ansiosa e tenha muito medo, inexplicável, de que ele será pego. Ele fica na casa, a limpa, vê televisão como se fosse sua casa, e tira foto das fotos da casa como se fossem suas, como se pertencesse ali. Talvez isso tenha muito a vê com sua personalidade. O filme não faz com que pensemos que ele é louco, pelo menos eu não. Falo que esse comportamento tem a vê com quem ele é pelo fato de nada na vida dele estar estabilizado, até quando se apaixona por Sun-hwa, moradora de uma casa da qual ele invade, e no consegue expressar muito bem esse sentimento. Não consegue ser livre (amor), não consegue ser preso (casas/realidade). Vive mas só fala se realmente for necessário, numa filosofia que não podemos entender muito bem até o momento em que está na prisão. Realmente ali vemos como ele não sabe quem é, como não é estável e não consegue viver num lugar só. Pensei que se ele ficar com sua amada poderia morar onde quisesse, séssil ou instável, que iria estar bem. Mas enquanto está sem Sun-hwa na prisão, imagina: ser um pássaro, um dançarino, algum animal que prende-se a grade (pode ser um macaco) e por fim a sombra humana. E a partir desse momento, o brilhante diretor do filme, Ki-duk Kim, transforma o clima em algo mais obscuro. Então quando o nosso Sombra sai da prisão, se vinga. Diferente dos outros filmes de vingança, que a trata de forma extravagante, esse é sutil.

Sun-hwa é casada, e seu marido em primeiro momento se vinga de nosso invasor por estar no seu jardim atacando-o e por levar sua esposa. Diferentemente da vingança de Sombra, sutil, o marido de Sun-hwa se vinga de forma direta e muito violenta, mostrando seu caráter forte e violento que não admite que ninguém o desafie.

O invasor não reage quando batem nele e quando o acusam, só atende a amada, que aprendeu com ele a não falar sem necessidade. Ele não reagir pode deixar muitos indignados, inclusive eu. Mas não é só nele que falta reação, Sun-hwa também deixa o marido fazer o que bem quer, acomodando-se, por talvez, viver num sonho, não pensar que tanta crueldade pode acontecer. Quando ela grita ao atender a ligação do marido é uma forma muito intensa de mostrar sua dor.

O nosso protagonista sem nome também vive num sonho, por isso a brilhante frase ao final do filme: Difícil dizer se o mundo que vivemos é uma realidade ou um sonho. Após a cena da balança em sequencia dessa frase, conspirei, achei que ele não existia. Não tem nome. Imaginei o filme inteiro sem ele, com ela mesmo fazendo tudo o que ele fez, sonhando tudo aquilo e sofrendo. Idealizou alguém. Por isso talvez ele ser a sombra humana? Mas é depressivo demais pensar que ele não existiu. De fato sempre recorremos a alguém, até invisível, para poder sair de algo e pensamos que esse alguém nos tirou, quando na verdade fomos nós mesmos.

http://www.imdb.com/title/tt0423866/

Anúncios